Categorias

Slide

728x90

   

      E do pouco que a vida me permite entender sobre relacionamentos, eu percebi, que não adianta insistir, tentar carregar nas costas a outra pessoa, seus pesos, seus receios, e seu pouco sentimento, ou o vazio da falta dele. Não é apenas o gostar que sustenta um relacionamento, só gostar é pouco de mais, e quando sobra só isso, é porque já se falta muito.

      E o café já não tem mais o mesmo gosto, as leituras não são mais impactantes, e de repente, tudo vira de cabeça pra baixo, ontem era você e ele, hoje é você e sabe lá quem Deus quiser. E as pessoas te olham de um jeito diferente, engraçado, eles  estranham quem nada contra a correnteza, idiotas, a normalidade é ser igual, todos iguais, tolos, nanando em um mar de ilusões.

      Mas eles já não se respeitam e uma hora o muro de aparências, desmorona em cima da vida perfeita deles é como se não adiantasse, ninguém sustenta uma falsa aparência por muito tempo. E mascaras infinitas não existem, você pode se decepcionar e acreditar de novo naquela pessoa, e pode fazer isso por mais 10 vezes, mas não adianta, é como você amassar um papel e desamassar por dez vez, ele pode até não rasgar, mas nunca voltará a ser o mesmo papel, porque insistir em gostar, é apenas pura insistência.

    Então nós suportamos um oi por educação, mas o coração não suporta mais um amor sem amor, mais uma ilusão, coração ferido, mentiras, discussões, sufocação, gente que suga.

    E a gente vai percebendo que a vida já é tão simples, que as opções são tantas, que até insistir naquele sofrimento já não vale mais a pena, então você começa a deixar as pessoas passarem na tua frente, simplesmente por que você já entendeu, que não adianta ter pressa, que não adianta querer construir castelos em cima de pessoas, é como caminhar na areia movediça! E você percebe, que a vida por si própria, já é difícil, maluca e assustadora.

     Começa então a encarar tudo diferente, de um jeito mais leve, como se fosse inevitável chegar até a próxima esquina sem tropeçar, afinal somos tropeços, escorregões, e histórias inacabáveis. E a vida é tão imprevisível, como ontem, como será para sempre.

      Você já não é a mesma, sua história também não, e a cada dia permita que você se refaça e aceite, aceite que as coisas vem e vão e que tudo vem para fortalecer, e que a vida é uma caixinha de surpresas. Quando passamos a entender que simplesmente não possuímos o dom de entender tudo, conseguimos enfrentar os dias de silêncio e solidão com mais segurança e aprendemos a dar risada também. Afinal, na próxima esquina vamos tropeçar, vamos nos encontrar, vamos nos refazer, porque se temos uma certeza, é que precisamos viver!

0
Comentários
Compartilhe com os amigos

Comente pelo Facebook!

Comente pelo Blog!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *