Categorias

Slide

728x90


Já é difícil de falar, agora as palavras simplesmente desapareceram. 

É como sentir e não sentir, não saber estar sentido, ou não querer sentir o sentimento que já esta ali. E eu não acredito, não aceito, e não acho justo, estar aqui de novo, com o coração pronto pra se apaixonar e cair nesse buraco sem chão, de novo, no lugar errado, na hora errada e nas circunstâncias inapropriadas. Parece piada, parece engraçado, e é, eu não sabia que por um sorriso de menino eu ainda me apaixonaria.

Eu neguei na terça-feira, na quarta, mas quinta, já não consegui. Minhas pernas tremerão, meu coração disparou, e da pra acreditar? De novo, tudo o que eu menos queria esta acontecendo, e eu que prometi pra mim mesmo nunca mais me perder, só consigo me sentir perdida! Porque mais uma vez, é um sentimento que me cala! Eu sempre me perguntei, o porque de sentir algo que não vale a pena? Mas eu estou vivendo e entendendo que não adianta, botar a culpa, nos astros, coincidências, carência, quando o coração aperta, só aperta!

Eu estou no mesmo ônibus, sentido a mesma coisa que eu pensei que nuca sentiria de novo, e novamente vejo essa história não acabando bem, não que seja pessimismo, são só palavras de quem conhece a realidade. E eu volto pelo mesmo caminho, sentindo as mesmas dores, olhando as mesmas imagens, tentando saber o que fazer, encontrar saída, sem saber se o melhor é realmente sai. E são 10:10 de mais um agosto, que insistiu em se repetir, acho que se aproxima a primavera, parece que meu coração tende a ficar mais suscetível, nessa estação, como se eu estivesse condenada a me entregar ou a perceber que algo anda errado, e que é preciso mudar!

Engraçado, acabo de perceber, que as palavras continuam aqui, talvez só continuei a não saber o que falar, e em minutos, acabei por falar tantas coisas e conseguiria, dizer muitas coisas ainda. Talvez um desabafo, desembaraço, talvez eu precisasse só ter certeza que não preciso de você, e que dessa vez eu não precisasse precisar...

Eu parei, e olhei em volta, o ônibus, continua a seguir a sua direção, as pessoas estão parando pelo caminho, talvez eu precise, apenas parar agora! Parar antes de chegar nesse terreno tão incerto, cheio de duvidas, e provações, não por covardia, mas por excesso de coragem!

Percebo mais uma vez, que talvez eu não tenha nascido pra viver um grande amor, e sim apenas para contar sobre ele, talvez esse seja meu jeito de amar, ou o amor que pra mim foi destinado, afinal, depois de muitas idas e vindas, eu entendi que o amor já vive, desde o segundo que ele toca o coração!

0
Comentários
Compartilhe com os amigos

Comente pelo Facebook!

Comente pelo Blog!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *