Categorias

Slide

728x90

Direitos de Imagem Reservados à Susano Correia 

Vivemos em uma sociedade extremamente machista. Machismo este que está acorrentando muitos meninos e homens que, por fugirem das “regras da masculinidade”, também estão sendo alvos do preconceito e violência.

Os homens precisam de igualdade tanto quanto as mulheres. Por muito tempo, o papel de pai não foi valorizado e hoje sabemos que o vínculo paterno é tão fundamental quanto o vínculo materno.

Muitos homens sofrem de doenças mentais e se torturam por não pedirem ajuda com medo de que isso possa diminuir sua masculinidade, que isso possa torná-los menos homem pelo fato de anunciar uma fraqueza que um homem viril jamais poderia anunciar.

Esse silêncio, que prende muitos homens com medo de se expressarem, resulta em milhões de suicídios, resulta em corpos que se sufocam com suas próprias almas.

Os homens são ensinados a não chorar, a não demonstrar que estão com o coração partido, a não se emocionar, a não deixarem ser tocados. Muitos meninos são repreendidos ao brincarem com bonecas ou com brinquedos ditos como “femininos”.

Assim como as mulheres, os homens também são livres para expressarem seus sentimentos e suas fragilidades sem que isso seja usado contra eles, sem que isso seja motivo para violência, preconceito e gozação, sem que isso os determine e, principalmente, sem que isso os rotule.

Os homens não precisam ser agressivos para serem aceitos, não precisam esconder seus sentimentos. O feminismo é um movimento que veio libertar homens e mulheres de padrões construídos que geraram e ainda geram tanta dor e angústia.

Todos nós sujeitos devemos ser livres para sermos frágeis, ser livres para sermos fortes. Seu pai precisa do feminismo, seu namorado precisa do feminismo e seu filho precisa do feminismo, porque eles precisam ser aceitos dentro de suas particularidades.

Não somos dois lados de uma moeda, somos a moeda inteira e o feminismo é algo para se investir.

9
Comentários
Compartilhe com os amigos

Comente pelo Facebook!

9 Comentários

  1. Olá tudo bem?
    Eu achei o texto bem interessante, no entanto no sou adepta do feminismo e não concordo com muitas coisas que eles pregam, mesmo eu sendo mulher. O que vou ensinar ao meu filho, que eu acho que muitos pais pecam nesse momento é, justamente, ser homem. Assumir suas responsabilidades e erros, tratar uma mulher como uma pessoa e não um pedaço de carne ou algo inferior. Acho que tanto a mulher precisa do homem como o homem precisa da mulher e não preciso ser feminista para saber disso. Assim como vou ensinar minha filha a se maquiar e se sentir linda para ela própria e não para um outro homem ou para outra mulher. Acho que o que falta na sociedade atual é amor ao próximo e não digo apenas com relação à mulher e sim ao ser humano em geral, mata-se por menos do que isso. Por isso lhe digo que meu filho será educado com princípios de responsabilidade e ética e não com base no feminismo.
    Mas apesar disso, achei o texto interessante.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo ótimo Camila!

      Interessante o teu ponto vista. Acho importante muitas coisas nas quais você citou. O feminismo na verdade, é a igualdade e a liberdade dos genêros. Não a exclusão do homem ou da mulher, e sim os dois sendo considerados. Acho importante o que o movimento trás, que é respeito, empatia, empoderamento, amor próprio, igualdade, entre outras coisas. Chame de feminismo ou de qualquer outra coisa, mas que isso tudo aconteça! Que os homens e as mulheres sejam livres, respeitados e que a gente consiga construir um futuro mais justo!

      Excluir
    2. E parabéns pela maneira, na qual irá criar seus filhos!

      Excluir
  2. Olá!
    Nossa! Achei o texto perfeito e poderia ainda ser mais estendido.
    Vivemos em uma sociedade machista e é claro que Maria não leva vantagem nenhuma!
    Por isso temos desconstruir a imagem da mulher sexo frágil, fraca que só serve para(... )
    Contudo os homens tem que aprender a se desconstruir também, da mesma forma que fomos ensinadas a "coisas" só de mulheres eles também foram ensinados a "coisas" só de homens!
    E a desconstrução nunca é fácil! Amei e já tô divulgando!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, muito obrigada, verdade, existe muito o que se discutir ainda sobre assunto. Agradeço o comentário e por ter gostado!!!

      Excluir
  3. Olá, tudo bem? Nossa que texto lindo
    Eu tenho um filho e procuro ensinar a ele o respeito e a educação. Não faço distinções ensino a ele que ele deve tratar as pessoas como ele gostaria de ser tratado seja mulher, homossexual, negro. Acho que é isso que falta. Tratarmos as pessoas como gostaríamos de ser tratados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Obrigada Faby, exatamente, parabéns por pensar assim!!!

      Excluir
  4. Que texto, QUE TEXTO! É pra fazer muitas pessoas balançarem o crânio. Não somos uma luta de uma parte, somos uma luta de TODAS as partes. Quem dera que o mudo pudesse enxergar isso. Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Não tenho filhos mas se um dia tiver farei o impossível para que ele respeite as mulheres como devem. Enquanto isso vou tentando mostrar o caminho para os meninos do meu convívio.
    Bjs

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *